sexta-feira, 7 de março de 2014

Em defesa de Roberto Carlos degustar um bifinho

Não gosto do Roberto Carlos, abomino todas as suas músicas de todas as fases desde a jovem guarda até essa fase carola-breganeja-caminhoneiro-empregada doméstica. É asqueroso como pessoa, seu sorriso amarelo soa mais falso do que uma nota de 11 reais (que o digam o seu biógrafo Paulo César de Araújo e também seu ex amigo Tremedeira). Entretanto, o patrulhamento ideológico e o bombardeio de críticas que tem recebido por ter posado de garoto propaganda da Friboi é de uma atrocidade, burrice e hipocrisia sem precedentes. Querem deixar o rei nu, querem despi-lo de seu terninho  azul.

Mas qual é o problema se ele durante anos foi vegetariano e agora mudou de opinião? E quem é carnívoro e de repente resolve ser vegetariano, daí pode? E qual é o problema se ele não deixou de ser vegetariano (possibilidade de 100%) e apenas representou um papel no comercial, por sinal muito mal feito? Será que atrizes e atores de novelas quando fazem propaganda de sabonetes, desodorantes e shampoos de peão de obra às seis da tarde usam mesmo aqueles produtos? É óbvio que não! Então essa perseguição ao rei só pode ser patrulhamento ideológico de ambientalistas ignorantes e safados de mesa de botequim.

Se Roberto Carlos deixou de ser vegetariano ou não é uma questão que só lhe diz respeito, ninguém tem nada com isso, é sua vida particular, ainda que exposta ao grande público e aos seus incondicionais fãs. Se o problema foi o alto valor do cachê, e daí? Ou alguém é ingênuo a tal ponto de achar que uma celebridade do quilate do rei faria qualquer comercial de TV de graça ou a preço de banana? O rei é caro e não poderia ser diferente.

Engraçado que alguns patetas no facebook e da impensa crucificam o rei alegando que ele vendeu os seus princípios ao voltar a degustar carne, ao mesmo tempo em que alegam que ele não deixou de ser vegetariano e fez o comercial somente por dinheiro! Santa incoerência! Acontece que mudar de opinião sobre preferências gastronômicas não é uma questão de princípios, mas de gosto pessoal. Eu como carne, então não tenho princípios? Ninguém pode falar simplesmente porque não conhece sobre os princípios de cada um por se tratar de assunto de foro íntimo. Só a própria pessoa é quem sabe de seus princípios.

Naturalmente que o rei não precisa de ninguém que o defenda nesse ponto, e nesse momento ele deve estar cagando para quem o critica por ter feito esse comercial. Sua condição de ícone absoluto popular o deixa blindado contra esse tipo de crítica. Ah, dirão muitos, que na condição de rei, sua credibilidade vai influenciar milhares de fãs a consumirem mais carnes e até mesmo converter veganos e vegetarianos. Ótimo, ponto pra Friboi, alvo atingido. E que o rei deguste seu medalhão em paz ao som de “O Portão”, o qual deveria ser fechado na cara de seus críticos e detratores.